terça-feira, 31 de julho de 2012

Governador Alckmin inaugura serviço de ginecologia para mulheres com deficiência

Projeto "Sábado sem Barreiras" vai oferecer exames ginecológicos a mulheres com deficiência

Governador e Dra. Linamara no Hospital Perola Byigton na inauguração do serviço
  O governador Geraldo Alckmin abriu neste sábado, 28 de julho, um serviço ambulatorial especializado na assistência em saúde de mulheres com deficiência. Localizado no hospital estadual Pérola Byington, o projeto “Sábado sem Barreiras” oferece assistência em saúde ginecológica para mulheres com deficiência.

  "Hoje começa no Estado de São Paulo um serviço de saúde inovador para mulheres com deficiência. Este programa é feito aos sábados, com isso, utilizamos os serviços de saúde ociosos, o que facilita para as famílias, porque o trânsito é melhor aos sábados", afirmou Alckmin. O governador ainda frisou que a intenção também é levar essa proposta pioneira para outros serviços de saúde do Estado.

  A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, acompanhou o Governador no lançamento desta importante iniciativa do Governo do Estado.
Os atendimentos, que inicialmente serão realizados no último sábado de cada mês, das 8h às 12h, ocorrerão em um ambulatório localizado no 2º andar do hospital e contará com assistência de uma equipe multidisciplinar composta por médicos ginecologistas, enfermeiros, psicoterapeutas e psicólogos.

  O projeto recebeu investimento de R$ 20 mil para a compra de equipamentos e adequação do espaço físico. Outro diferencial do projeto se deve ao fato de ser considerado “sem tempo de espera”, já que, durante o período que antecede a consulta, as pacientes poderão participar de grupos de discussões com psicólogos e psicoterapeutas sobre sexualidade e outros temas do cotidiano da pessoa com deficiência. Serão realizados dois grupos de discussões por sábado, com início às 8h e às 10h.

  As pacientes vão passar por consultas médicas e fazer exames como ultrassom, mamografia e papanicolau, usando equipamentos adequados, especialmente adquiridos para atendimento a pacientes com deficiência. O atendimento será feito sempre no ultimo sábado do mês.
Agendamento prévio 

   Para passar pelo atendimento médico, a paciente com deficiência deve fazer agendamento prévio por telefone sempre na segunda semana do mês, às segundas, terças ou quintas-feiras, entre 10h e 12h, pelo telefone (11) 3248-8123. Serão atendidas, em média, 1.000 mulheres por ano.

  Os resultados dos exames por imagem, como ultrasonografia, serão entregues no mesmo dia da consulta. Já os resultados de outros exames mais complexos e que eventualmente não fiquem prontos na hora, poderão ser consultados via internet, serviço considerado inédito e exclusivo para estas pacientes.

Agendamento: na segunda semana de cada mês, às segundas, terças ou quintas-feiras, entre 10h e 12h, pelo telefone (11) 3248-8123

domingo, 29 de julho de 2012

Pessoas com deficiência poderão ter prioridade em programas habitacionais

A Câmara analisa o Projeto de Lei 3524/12, do Senado, que inclui a moradia como direito básico das pessoas com deficiência e dá prioridade a esses cidadãos em programas habitacionais públicos ou subsidiados com recursos governamentais.

A proposta altera a Lei 7.853/89, que prevê medidas para a inclusão social dos indivíduos com deficiência. Atualmente, a lei assegura a esse público o direito à educação, à saúde, ao trabalho, ao lazer, à previdência social e ao amparo à infância e à maternidade.

Autora do projeto, a ex-senadora Marisa Serrano argumenta que são "ínfimos" os percentuais de moradia popular financiados pela Caixa Econômica Federal para os cidadãos com deficiência.

Dados de 2006 da Agenda Social do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), citados por Marisa, mostram que apenas 5.239 famílias com renda de até cinco salários mínimos e que possuem integrantes com alguma deficiência foram atendidas pelos programas de habitação social. Segundo o Censo de 2000, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), completa a ex-senadora, há mais de 21 milhões de cidadãos com deficiência de baixa que poderiam ser atendidos por esses programas. “Logo, menos de 0,025% da população está assistida”, conclui.

Abrangência
Marisa Serrano ressalta ainda que a proposta pode beneficiar um número cada vez mais de indivíduos. “Qualquer pessoa poderá adquirir alguma deficiência física ou mental durante a vida, o que confere às políticas de compensação nessa área um caráter de seguro social de abrangência universal”, diz.

O projeto também padroniza a terminologia usada na Lei 7.853/89 para se referir às pessoas com deficiência, adequando o texto ao da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2007.


Tramitação
A proposta tramita apensada ao PL
7699/06, que cria o Estatuto do Portador de Deficiência, e está pronta para ser votada em Plenário.

Fonte: http://www2.camara.gov.br

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Veja destinos preparados para receber pessoas com deficiência no Brasil

Para ajudar você, separamos uma lista com seis cidades brasileiras consideradas preparadas para receber turistas com mobilidade reduzida, deficiência auditiva ou visual. Confira os passeios e instalações mais adequadas nos quatro cantos do país
Pessoa com perna amputada está deitada sobre uma boia dentro
Será que arrumar as malas e colocar os pés na estrada é algo tão fácil assim pra todo mundo? No Brasil, cerca de 25 milhões tem algum tipo de deficiência. O que, em muitos casos, pode fazer com que elas tenham dificuldades em aproveitar certos passeios. A acessibilidade é garantida hoje por leis federais, porém, nem sempre os destinos turísticos cumprem as normas e tornam os locais acessíveis a todos.

Por isso, antes mesmo de escolher o destino, é preciso avaliar o que os locais oferecem. Além de estar atento às adaptações para tornar o passeio seguro, vale consultar se o local dispõe de cardápios em braile e informações acessíveis aos deficientes visuais e auditivos. Ainda, é preciso verificar se o local conta com quartos e banheiros adaptados, portas mais largas e barras de apoio. Consulte também, no caso de resorts, se as instalações possuem carrinhos ou cadeiras de roda para serem usadas em seu interior. E, se preferir, contrate serviços de ‘transfers’ para visitar as atrações da cidade. Estenda todos estes cuidados aos locais públicos e informe-se se os parques, museus e passeios contam com aparelhos e atendimento especial para atender às necessidades especiais.
Para ajudar você, no entanto, o Terra listou seis cidades brasileiras consideradas preparadas para receber turistas com mobilidade reduzida, deficiência auditiva ou visual. Confira os passeios e instalações mais adequadas nos quatro cantos do país.

Maceió: segundo o IBGESite externo., a cidade é a capital que possui a maior porcentagem de quartos de hotéis adaptados para receber visitantes com mobilidade reduzida. A cidade ainda conta com um sistema de jangadas adaptadas.

Socorro: a cidade, localizada a 130 km da capital paulista, é um dos destinos com melhores condições de receber pessoas com mobilidade reduzida. A estância hidromineral de Socorro, através do projeto Socorro Acessível, conta com adaptações em diversas atrações. Na cidade, é possível encontrar passeios, transportes, edifícios públicos, estacionamentos, telefones para surdos e cardápios em braile por todos os lados. Socorro recebe famílias inteiras em atividades de aventura e ecoturismo, sem exclusão. O Hotel Fazenda Parque dos SonhosSite externo. conta com passeios a grutas, tirolesas, cachoeiras e trilhas ecológicas adaptadas para receber os visitantes.

São Paulo: a capital paulista é uma das cidades que mais está preparada para os deficientes. Alguns museus, como a Pinacoteca do Estado, MASP, Museu do Futebol e o Museu da Língua Portuguesa, possuem catálogos em braile e audioguias. E as atrações públicas da cidade possuem rampas de acesso ou elevadores para cadeiras de roda. Nos parques do Ibirapuera e Villa Lobos, o acesso é facilitado por meio de rampas e no Parque do Jaraguá, há um mirante adaptado para os cadeirantes. Nas ruas, a acessibilidade é considerada boa, mas ainda não é cumprida a rigor. As estações de metrô e trem são equipadas com elevadores que facilitam o deslocamento das pessoas com mobilidade reduzida. A cidade ainda possui a maior rede hoteleira adaptada, com 511 quartos.

Rio de Janeiro: algumas atrações da cidade estão bem adaptadas para receber os turistas com mobilidade reduzida. Na Lagoa Rodrigo de Freitas, existe um pedalinho motorizado disponível. No Pão-de-açúcar, há elevadores-plataforma que dão acesso às bilheterias e a área de embarque, onde há prioridade para pessoas com deficiência. O Jardim Botânico conta com um jardim sensorial, onde os visitantes têm seus olhos vendados e são guiados por pessoas com deficiência visual em um mini-labirinto, onde terão contato com texturas e odores de diversas plantas.

Fortaleza: na cidade, existe estrutura para atender o visitante com deficiência, porém, em alguns passeios públicos, as pessoas podem enfrentar dificuldades. Um dos principais destinos, o Beach Park, conta com uma boa estrutura de segurança para os visitantes. No Aqua Park, que faz parte do complexo, os visitantes encontram coletes salva-vidas e carrinhos para os que possuem mobilidade reduzida. Os deficientes visuais poderão pedir cardápios em braile. Hotel disponibiliza instalações adaptadas e banheiros com barras de apoio.

Curitiba: quando o assunto é infraestrutura pública, a cidade de Curitiba torna-se a mais preparada para seus moradores e visitantes. Na cidade, os ônibus adaptados são quase totalidade e o Jardim Botânico, um dos pontos turísticos mais visitados, possui o Jardim das Sensações, com trajeto sensorial constituído de uma pista ladeada por sementeiras com legendas em Braille, que oferece a oportunidade de ver, tocar e apreciar o perfume de espécies botânicas, bem como de simular ambientações de floresta.

Ilha Bela: a ilha localizada no litoral paulista possui uma boa infraestrutura para os deficientes que procuram por aventura. Por meio de projetos do governo do estado, algumas praias como a do Perequê, Sino e Praia Grande possuem cadeiras anfíbias, que são aquelas que facilitam a chegada dos deficientes ao mar. A Pedra do Sino, um dos pontos turísticos da cidade, pode ser visitada por todos. Rampas de acesso e uma passarela podem ser usadas. A Praia do Julião conta com rampas de acesso para cadeirantes e banheiros adaptados. Ainda, tanto a rede hoteleira como bares e restaurantes da cidade estão preparados para receber deficientes visuais e disponibilizam cardápios e informações em braile, além de acomodações especiais.

Chapada do Guimarães: a 64 km de Cuiabá, na Chapada do Guimarães, está o Vale da Benção. Em 2011, foi inaugurada a primeira trilha feita para deficientes visuais, no Espaço Turístico Chapada Aventura. A trilha possui cordões e sinalização tátil de onde o visitante pode conhecer um pouco sobre as 32 espécies nativas catalogadas em braile. Pousadas da região contam com adaptação para cadeirantes e cardápios em braile.

Brotas: no interior de São Paulo, a cidade é conhecida por ser um destino de aventuras. Os passeios funcionam normalmente e as operações são idênticas quando existe algum deficiente nelas, o que muda são alguns procedimentos operacionais. Monitores de várias operadoras receberam treinamentos para conduzir os turistas com deficiências. O rafting pode ser praticado por todos, já o rapel só não é indicado para os deficientes visuais. O lugar ainda conta com adaptações para arvorismo e tirolesa

Fonte: vida mais livre

segunda-feira, 16 de julho de 2012

TAM será a primeira no mundo a ter banheiros com acessibilidade em aeronaves narrow body

Pela primeira vez na história das aeronaves narrow body (de corredor único), o novo layout permite que os dois sanitários localizados na traseira do avião sejam facilmente convertidos em um, adaptado para pessoas com mobilidade reduzida.


A TAMSite externo. será o primeiro cliente da Airbus em todo o mundo a receber aeronaves da Família A320 com uma nova opção de cabine que vai beneficiar o passageiro com mobilidade reduzida. A novidade da Airbus, chamada de Space-Flex, permitirá um uso mais eficiente do volume na parte traseira da cabine, com dois sanitários e uma galley (nome da área dedicada à armazenagem e manuseio de alimentos e bebidas nas aeronaves) menor.

Pela primeira vez na história das aeronaves narrow body (de corredor único), o novo layout permite que os dois sanitários localizados na traseira do avião sejam facilmente convertidos em um, adaptado para pessoas com mobilidade reduzida.

Ao todo, 39 novas aeronaves da TAM estarão equipadas com o Space-Flex e serão entregues à companhia a partir do último trimestre de 2013. Os aviões da Família A320 operam principalmente nas rotas domésticas da empresa.

Imagem

Fonte: vidamaislivre.com.br

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação chega a sua 4º edição

O evento acontecerá entre 15 e 17 de agosto. O objetivo deste 4º ano é discutir Deficiência & Desenvolvimento Sustentável
De 15 a 17 de agosto acontecerá em São Paulo, no Palácio das Convenções Anhembi, o 4º Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação.
A marca do Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência, que este ano chega à sua quarta edição, é a organização, coordenação e realização de atividades voltadas à difusão de Tecnologia Assistiva para a melhoria da qualidade de vida de toda a população.
O objetivo do evento este ano é discutir Deficiência & Desenvolvimento Sustentável, buscando quantificar o universo da deficiência, conhecer seus custos, seu papel e seu valor no contexto social.
A Exposição de Inovação tem apoio institucional do FORTEC – Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia, que seleciona e apresenta os melhores projetos de Tecnologia Assistiva desenvolvidos pelas principais universidades e centros de pesquisa do país.
Durante este ano haverá um evento paralelo ao Encontro, será o XXIII Congresso Brasileiro de Medicina Física e Reabilitação, que reunirá temas atuais e de grande relevância para a prática clínica em reabilitação.
Confira a programação e faça sua inscrição para o Encontro Internacional em http://4encontro.sedpcd.sp.gov.br/index.php
Para mais informações sobre o XXIII Congresso Brasileiro de Medicina Fisica e Reabilitação, visite o site www.fisiatria2012.com.br
SERVIÇO
4º Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação
Data: 15 a 17 de agosto
Local: Palácio das Convenções Anhembi
Endereço: Av. Olavo Fontoura, 1209 - Parque Anhembi - Santana - São Paulo
INSCRIÇÕES ABERTAS - PARTICIPE!

Fonte:http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br

terça-feira, 3 de julho de 2012

Bares e Restaurantes acessíveis. Um prato cheio para a inclusão.

Nailde 332

Assim que um empresário decide abrir um bar ou restaurante é necessário observar se o local já é acessível, ou se nele é permitido fazer reformas para adaptá-lo aos requisitos atuais de acessibilidade.

E o que é considerado um ambiente acessível? É definido como acessível um local livre das barreiras que impeçam o fluxo dos clientes pelo estabelecimento, desde a entrada.
E por que se preocupar com isto? A acessibilidade além de ser uma lei cada vez mais fiscalizada, é um ato de cidadania e mostra a preocupação que a empresa tem com as pessoas. Um espaço acessível facilita o deslocamento de todos, e consequentemente auxilia nos fluxos de funcionários e mercadorias. Também beneficia a visualização do cliente sobre determinado produto ou serviço, o que pode acarretar em aumento de vendas e a satisfação final do consumidor.
Abaixo seguem estão alguns itens da norma brasileira de acessibilidade para restaurantes, bares e similares:
1. É necessário que pelo menos 5% do total das mesas, com no mínimo uma, seja acessível à pessoa cadeirante. Esta porcentagem também é válida para o buffet e caixa. As mesas devem ser integradas às demais, para que sejam oferecidas todas as habituais comodidades e serviços disponíveis no local. Em alguns estabelecimentos observam-se certas incoerências em relação ao assunto, por exemplo, espaços destinados às pessoas com mobilidade reduzida localizados no segundo pavimento, com o acesso obrigatório realizado por escadas, ou mesas isoladas do restante do salão. O cliente está cada vez mais informado e percebe quando as adequações são excludentes.
2. O estabelecimento deve oferecer exemplares do cardápio em braile.
3. Atente-se para as medidas, principalmente em relação às alturas. Nos balcões de auto-serviço, a altura máxima é de 85 cm.Também é necessária uma área de aproximação de 90 cm. Veja a figura 1.

4. Os caixas de pagamento e atendimentos rápidos devem possuir altura máxima de 105 cm do piso. Veja figura 2.

E lembrem-se! Não devemos considerar somente como beneficiários os portadores de algum tipo de necessidade especial permanente, mas também os portadores de necessidades especiais momentâneas, que podem ser qualquer um de nós, em determinada época da vida. A gravidez, uma perna quebrada, torção no pé ou até mesmo uma gripe, deixam as pessoas incapazes de exercer uma atividade com a mesma intensidade. E nestes momentos, como seria bom se não existissem degraus, se o local fosse bem sinalizado, se as rampas e passeios tivessem a inclinação correta e demais condições de acessibilidade respeitadas


Fonte: deficiêntes sim, incapazes nunca.

Postagens populares